Projeto Gelo Solar É contemplado no "Desafio de Impacto Social - Google Brasil"

Início >> Notícias >> Projeto Gelo Solar É Contemplado No Desafio de Impacto Social Google Brasil

Em São Paulo, Google anuncia vencedores do Desafio de Impacto Social

Durante evento realizado nesta manhã (dia 8), o Google anunciou os vencedores do Desafio de Impacto Social Google | Brasil, que são: Conservação Internacional, Meu Rio, Instituto Zero a Seis e Geledés. Pela importância e relevância dos outros finalistas, o Google concedeu uma premiação de 500 mil reais. Com esse recurso, o Instituto Mamirauá poderá executar parte do projeto “Gelo Solar: tecnologia para conservação de alimentos em comunidades isoladas da Amazônia”. Foram 751 projetos inscritos, 10 finalistas e apenas quatro vencedores, que vão receber 1 milhão de reais cada para desenvolver propostas distintas, mas que têm em comum soluções para problemas sociais.
Na abertura do evento, o vice-presidente da república, Michel Temer, destacou a mobilização das instituições.  “Se 750 projetos foram apresentados, significa que se mobilizou o país em torno do concurso, em função da abrangência geográfica das instituições concorrentes”. Em seu pronunciamento, Temer destacou a importância social do projeto “Gelo Solar”.
“Esse projeto é uma expansão dos projetos de energia solar que o Instituto Mamirauá vem desenvolvendo desde 2001, em parceria com a Universidade de São Paulo. É um projeto de impacto social que vai ajudar comunidades que estão distantes entre 15 e 18 dos centros urbanos e não têm gelo em suas localidades. Nós vamos ampliar a cultura de acesso à energia para as populações isoladas da Amazônia”, disse Dávila Corrêa, pesquisadora do Instituto Mamirauá, e uma das coordenadoras do projeto.
Juntamente com o Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, o Instituto Mamirauá vai instalar máquinas de gelo solar, que não utilizam baterias, e resolver o problema da conservação de alimentos e comercialização do pescado em comunidades isoladas. Os equipamentos serão instalados nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amaná, duas unidades de conservação do estado do Amazonas.